terça-feira, 13 de setembro de 2011

Para minha filha!

Sete anos de alegria, sete anos de amor incondicional, sete anos de Mayara!
...a extensão do meu mar...


Foi assim que Deus abençoou minha vida,
Com esse rostinho cheio de luz trazendo alegria no coração,
esperança renovada,
a fé de novos tempos que caminharemos em paz,
em harmonia, em solidariedade...

E eu só posso desejar à minha filha:
Que ela tenha serenidade nas suas escolhas e atitudes;
Que ela lute por objetivos que a elevem, que lhe faça feliz e nunca desista deles, mesmo diante de dificuldades e obstáculos;
Que ela tenha bom senso na hora de querer julgar algo ou alguém;
Que ela seja maleável com os outros tanto quanto com ela mesma, pois o vento sempre está mudando a direção;
Que ela saiba trabalhar com a aceitação diante da vida, pois, haverá muitos ‘nãos’, inevitavelmente,
Que ela viva a vida apaixonadamente sem prender-se a coisas obsoletas, pois tudo na vida passa;
Que ela ouça, antes de tudo e todos, o seu coração, pois nele estarão as respostas e, caso seja difícil, tenha fé, como sempre!

Feliz Aniversário filha!
Deus continue te abençoando.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Livro: Enquanto o amor não vem - Iyanla Vanzant

"Haverá um momento em sua vida que o amor vai chegar. Antes disso, você terá feito tudo o que podia, tentado tudo o que podia, sofrido o quanto podia e desistido muitas vezes. Mas com a mesma certeza com que você está lendo este texto, posso lhe garantir que esse dia virá. Nesse meio-tempo, este livro vai lhe contar muitas histórias e lhe ensinar algumas coisas que você pode fazer para se preparar para o dia mais feliz de sua vida: o dia em que experimentar o amor verdadeiro."
Iyanla Vanzant

As três versões de capas

A idéia central do livro é a questão do meio-tempo: O que você faz enquanto o amor não vem? Sabemos exatamente o que queremos da vida: queremos encontrar um amor. Nossos relacionamentos, especialmente os amorosos, não estão dando certo. Parece que repetimos sempre as mesmas situações, que caímos sempre nas mesmas armadilhas. Nos perguntamos: o que há de errado comigo, por que é que com os outros dá certo, onde é que eu errei, será que nunca vou encontrar o meu parceiro (a)? Será que ele (a) existe? O que eu posso fazer? Esse período é o meio-tempo que a autora procura deixar cada vez mais claro em cada capítulo.

Em Enquanto o amor não vem há relatos de suas desventuras amorosas, dos aprendizados que são extraídos dos relacionamentos ao longo da vida (pais, professores, amigos, chefes, etc.), de como todas as áreas de nossa vida estão interligadas e da maneira como lidamos, como uma se reflete em todas elas, e a grande mudança no momento em que ela passou a se amar.

Um trecho pra você:
"Ficou claro que tudo o que eu pensava sobre o amor não tinha nada a ver com ele. Percebi que não conseguia reconhecer o amor porque na realidade, nunca o havia visto. É claro que eu tinha uma imagem na cabeça, mas ela não servia mais. Também descobri que o amor é mais que um sentimento bom. É mais do que se sentir necessário ou ter suas carências preenchidas. Levei trinta anos para perceber que o amor é uma experiência pessoal e interior de bem-estar total que não combinava com nenhuma das imagens que eu conhecera até então (...) A verdade é que o amor está dentro de você e que nenhum relacionamento com alguém pode desenterrá-lo e ativá-lo na sua vida. É você quem, primeiro, tem que tomar posse dele. Esta é a verdade que eu levei 10 anos para descobrir." Pág. 10, 11 e 12